N√£o sei se uma lembran√ßa ou uma intui√ß√£o me colocou no t√ļnel do tempo…minha av√≥!

Nona Rosa, como o nome dela mesmo dizia, era uma flor!

Lembro de coisas muito marcantes nela: o cheiro, a comida, o almoço de domingo, o sorriso, a Bíblia, as histórias, e natureza!

Sim ela amava as plantas! E numa casa, na cidade de S√£o Paulo, ela tinha um quintal nos fundos repleto delas! Me lembro muito das samambaias! Das flores…

As flores, o aroma daquele canto que era só dela!

Sabe aquele caldeirão que ferve horas a fio e o aroma faz com que todos se rendam a ela? Assim era o fogão na casa da vó! Ela tinha o segredo dessa magia! Dos alimentos, dos temperos e do amor no que fazia!

Dores e amores? Certamente ela tinha. Era uma mulher linda, com os encantos do feminino e os segredos dentro dela. Evang√©lica nessa vida, ela conhecia toda a magia que carregava na alma, das plantas, dos aromas…Ah como eu tenho muito dela em mim…

Pois ent√£o, fiquei imaginando a nona nos tempos de internet e redes sociais!

@ligiaguida j√° imaginou isso??

Bem com certeza o Instagram dela seria lindo! Cheio de imagens de plantas, flores, com mensagens da passagem da Bíblia e com Stories todos os sábados mostrando que o nosso molho de tomate do almoço de domingo já estava a ferver!

Se a nona já pilotava à mil aquele Ford Del Rey, imagine com um Smartphone nas mãos!

O canal dela do Youtube seria um arraso! Cheio de segredos de culin√°ria e receitas que ela carregava h√° vidas!

Facebook? Cheia de seguidores doidos para ver as fotos dos netos e as bonecas da Estrela que ela comprava nos lan√ßamentos para as netas. Ela amava as bonecas e n√£o teve oportunidade de t√™-las. Mas e as dores e amores da vov√≥? Ela conversava com as plantas e certamente os segredos ficavam por l√° mesmo! As samambaias filtravam as energias, as rosas transmutavam e perfumavam, as espadas de S√£o Jorge aturavam suas TPM‚Äôs, as ora√ß√Ķes a mantinham na retid√£o e ela sa√≠a daquele quintal terap√™utico renovada, energizada para continuar a compartilhar e multiplicar amor!

E os seus segredos ficavam com as amigas que aos poucos se encarregavam de transmutar lentamente na sua fotossíntese.

E quem vai dizer para v√≥ Rosa que ela precisava colocar todas as suas emo√ß√Ķes nas redes sociais e n√£o apenas para as suas plantas para ela ser humana de verdade?

O amor próprio faz com que seja feliz com o seu jardim sem se incomodar com o jardim do vizinho.

E o seu jardim est√° repleto de ervas daninhas? Acredite, todos tem!

Alguns gostam de dividir todo o processo de tirar as ervas daninhas com todos. Outros preferem meditar enquanto tiram suas ervas daninhas e depois chamam os amigos para compartilhar como o jardim ficou bonito. Eles dividem as dicas que aprenderam nesse processo e ainda contam que descobriram que algumas dessas ervas daninhas eram comest√≠veis e podiam fazer muito bem √† sa√ļde!

Quem está certo ou errado Sinhozinho Malta? Ninguém e todos!

E deixo aqui a minha reverência, gratidão e admiração pela vó Rosa que me ensinou a espalhar boas notícias, a conversar com as plantas e graças a ela, hoje saio no meu jardim e elas me entendem num só olhar!

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *